cobra

Atualizado: 28 de set. de 2021


Still taken from Magic Mirror, Sarah Pucill, 2013

Conatus é a coluna de poesia da sobinfluencia. Poesia das estrias do tempo, grávida de insurgências, de profundo dissenso, magnética à vida.


 

Para retomar nossa coluna de poesias, apresentamos Cobra, de Leonora Carrington, poema inédito, até então, em língua portuguesa.


Leonora é a vida surrealista ao seu enxame. A pintora e escritora cria um mundo às avessas, sublimado pelo onírico pulsante. O familiar habita nas criaturas incrustadas de mistério, ritualisticamente nos convidando ao sonho e ao encantamento profano da vida.


 

Snake

Crowned as the serpents In the Kingdom of the mind Often are. Where is the pyramid Of her body placed? A mnemonic device To navigate the reptilian brain. Bare it in mind Bare it in mind.


 

Cobra

Encimada como as serpentes

No Reino da psique Sempre são.

Onde está a pirâmide Sobre seu ser situada?

Mecanismo mnemônico Para singrar o cérebro sibilante.

Lembre-se. Lembre-se.


Tradução de Fabiana Gibim.



54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo