o artista negro e a montanha racial

Atualizado: 27 de jan.


Romare Bearden, Festa, 1969
 

Na Coluna Harlem desta semana, trazemos de volta Langston Hughes. Em, “O artista negro e a montanha racial”, Hughes debate a tarefa do jovem artista negro em direção a uma arte racial que expresse a alma negra estadunidense de forma verdadeira. Para ele, os desafios do novo artista são semelhantes à do escalador, que deve vencer obstáculos rochosos na conquista do topo. Tais obstáculos não dizem respeito somente à conquista sobre a hegemonia branca da cultura nacional, mas também à necessidade de ultrapassar a cultura negra que deseja a branquitude e, assim, relega as manifestações mais originárias da cultura afro-estadunidense, como o blues, o spiritual, o jazz e, mesmo, a representação pictórica da pela negra, escura, preta.